Transarrábida 2015 Sunset Edition

No ano anterior partilhei esta aventura com alguns amigos. Neste ano, sem outra hipótese por causa dos turnos e para evitar baldas tive de optar por fazer uma versão sunset sozinho porque só saí de serviço às 16h00.

Tive de fazer reconhecimento prévio na semana antes para saber os locais onde iria passar na zona do Vale da Rasca e Comenda que eram os sítios onde não me oriento tão bem. A falta de GPS obrigou a tal. Até tinha quem me emprestasse um para navegação durante o passeio mas preferi decorar o track.

Comecei a aventura às 17h00 e assim que cheguei ao final dos moinhos vi que não estava sozinho no percurso... apanhei um rebanho de ovelhas que provocou um engarrafamento no estradão que parecia hora de ponta na 2ª circular!

Ainda relativamente à semana passada, quando passei na pista do sol com uns amigos, o "Espiga" ia mandando um malho num rego ao meio da estrada que ficou filmado. Fiz um flashback até esse momento que felizmente em vez de uma queda aparatosa, tornou-se num momento cómico que deu para umas boas gargalhadas!

Depois de descer a pista do sol - já no Transarrábida - e antes de começar a atacar a subida da vigia de S.Luis tinha uma ideia que me faltava experimentar e este era o dia ideal: reduzir o curso da suspensão para baixar a testa da bike e subir mais facilmente nas inclinações acentuadas. Usei a fita da cintura do camelbak e enrolei-a entre a coroa e a ponte da suspensão e por fim ajustei até onde a mola permitiu travando-a mais ou menos a 1/3 de curso. Perdi a sensibilidade na frente da bike mas como era tudo terreno liso até ao cume não houve problema e subi aquilo tudo sem qualquer dificuldade.

Havia uma surpresa reservada aos riders lá no alto... uma mesa de piquenique que encontrei completamente partida num parque de merendas há cerca de 1 ano. Decidi trazê-la às peças para o sótão de casa e aos poucos foi reconstruída e reforçada nas partes onde a madeira já estava degradada. Entre ripas de madeira velha, tábuas de paletes e barrotes da construção o resultado está à vista. O pior foi levá-la lá acima... 

A descer o trilho novo da vigia estiquei-me ao comprido e tinham-me dado um jeitão as minhas fiéis joelheiras com que pedalo em quase todas as ocasiões. Desta vez devido ao calor e por ser um passeio demasiado longo optei por não as usar e pimbas, vai buscar para não seres preguiçoso. 

A ida até Sesimbra fez-se tranquilamente mas sempre a passo certo para não perder o pôr-do-sol que foi contemplado na zona das pedreiras. A subida que tinha pela frente fez-me demorar demasiado tempo e não consegui descer o trilho da caverna com o sol no horizonte embora ainda tivesse claridade durante essa descida. 

Sesimbra foi um pouco massacrante pois o cansaço já começava a surgir mas a teimosia também era muita. A subida final na zona do forte do cavalo parecia interminável e já notava um enorme decréscimo na cadência com que atacava as paredes. A sorte é que dali para a frente apanhava um enorme estradão para descansar os caniços até aos Casais da Serra. Dali para a frente até ao Vale da Rasca também não houveram grandes problemas em progredir no percurso. Quando cheguei à Rasca... e para não ficar ainda mais à rasca decidi evitar ali duas picadas que faziam parte do track original porque sabia que ia pagar caro em empeno e em tempo para ir terminar a volta já que tinha de ter em consideração o facto de ir trabalhar às 8h00 do dia seguinte. E ainda ali andava já perto da meia noite...

Lá fiz o trilho das cruzes nas calmas até lá acima e sabia que dali até à Comenda era um mimo com a maioria do percurso a descer. Tinha a penúltima grande subida pela frente até ao Forte de S.Filipe que também fiz ao relanti e já a chegar a Setúbal ainda encontrei uma bela escadaria até à Av. Luisa Todi! Não há cansaço que me diga que não posso descer uns dergrauzinhos... lol. 

Já não ia a horas de comer choco frito... mas... as esplanadas dos bares e cafés estavam repletas de "lulas" boas e fresquinhas que passei ali e até ia ficando com os olhos em bico! ahahahah.
Restava-me a subida da cobra que já é bem conhecida e essa já deixou de me meter medo há imenso tempo, vá em que estado for... estava cansadíssimo mas ainda assim fui descontraído até ao final.

Vídeo Partilhado por:
Ver Perfil
Portugal BTT
O que acha deste Vídeo:

Comentários: