Cannondale Slate Test Ride | Bikezone Setúbal

Depois de ter testado a Crux de um amigo recentemente, recebi um convite para testar esta Cannondale Slate na Bikezone de Setúbal. Já tinha visto artigos sobre a bike mas estava longe de imaginar que alguma vez iria estar aos comandos de uma. Não perdendo a oportunidade, depressa agendei um dia para ir ter com o Mário e o Rodrigo à loja a quem agradeço pela simpatia e atenção ao setup de bike para as minhas necessidades. Na realidade sou um tipo que dá pouco trabalho... a pressão dos pneus é meio ao apalpão, trocam-se os pedais para as minhas plataformas pois não sou fã de encaixes como já devem ter percebido e por último a possibilidade de vestir as cores da loja.

Bike pronta, percurso escolhido e siga para o (ab)uso! Tentei usar as capacidades da bike ao máximo e creio que foi bem espremida, talvez até mais do que devia mas só mostra que a construção é robusta e aguenta o que o rider exige dela. Normalmente o rider chega ao limite mais rapidamente do que a bike...

Este tamanho S assentou-me que nem uma luva e a geometria da bike dá-lhe uma condução extremamente precisa e com bastante agilidade. Inicialmente pensei que os pneus lisos fossem um problema mas com a pressão baixa a que permitem rolar (em tubeless) acabam por surpreender com a aderência que proporcionam até determinadas condições. Apenas perdia tracção em zonas extremamente lisas de offcamber ou em subidas mais inclinadas pedalando com excesso de potência.

A famosa Lefty com 30mm de curso tem um funcionamento tal como se espera absorvendo as irregularidades do piso para maior conforto e nota-se claramente a diferença quando está trancada ou aberta. Tudo o que sejam grandes impactos já requer um cuidado adicional aos comandos da bike porque a Lefty não é obviamente uma suspensão de XC ou AM e em percursos sinuosos não faz milagres.

Os travões hidráulicos nestas bikes são um sonho. A precisão da travagem é algo que dá uma confiança absoluta ao piloto e a progressividade das manetes permite um controlo milimétrico da potência ao travar em qualquer condição.

Foi uma bike que passou em todos os locais que tinha idealizado no percurso e até passou no drive-thru do McDonald's imaginem só! Um endureiro tem de se alimentar. Ups... um ciclista enganei-me.


MÚSICA:
Distant Ship - Across The River

Vídeo Partilhado por:
Ver Perfil
Portugal BTT
O que acha deste Vídeo:

Comentários: